Home ] Acima ]

 

O rádio surgiu no início do século XX e por diversos motivos e limitações da época, adotou-se a faixa de Ondas Médias para se utilizar o primeiro sistema de radiodifusão também conhecido internacionalmente como broadcasting ( transmissão de áudio ou vídeo em massa ), por isso que em alguns rádios antigos encontramos a sigla BC referindo-se a faixa das Ondas Médias ao invés de OM ou MW. Desde a sua invenção até os tempos modernos o rádio passou por muitas transformações físicas e tecnológicas que vão desde as válvulas eletrônicas até o minúsculo transistor SMD e os CI (Circuito Integrado). Com o tempo surgiram os rádios de Ondas Curtas ( para alcance mundial ), seguido pelo FM e chegando até os dias atuais na era do rádio digital, contudo a radiodifusão convencional em ondas médias ainda é até os nossos tempos e  tão forte quanto antes.

É muito importante não confundir OM (Ondas Médias) com AM (Amplitude Modulada), pois OM é a banda (faixa) de operação já o AM é o modo de operação (forma que o sinal é transmitido) que não é exclusivo da faixa de OM, mas também utiliza-se o modo AM na faixa de Ondas Curtas, Ondas Longas, VHF aeronáutico e etc... Se tornou popular o uso da expressão " ouvir rádio AM " até mesmo as emissoras se identificam como ex. "Bandeirantes AM 840" , "Jovem Pan AM 620"  e etc... e por causa disso acabam-se gerando algumas duvidas e confusões. Assim não é errado dizer rádio AM mas o correto seria dizer rádio OM. Basta se lembrar que AM e OM são coisas diferentes.

ALCANCE
O sistema de radiodifusão em Ondas Médias possui um alcance diurno médio de 50 a 150Kms, e este alcance pode variar dependendo de fatores tais como o tipo de antena e a potência utilizada no transmissor da emissora, bem como a sua localização e também a localização da estação do ouvinte (receptor). Em alguns casos uma certa emissora potente de Ondas Médias pode ser captada mesmo de dia até ou mais 600kms de distância do transmissor.

A transmissão em Ondas Médias possui qualidade sonora bem inferior a famosa transmissão de FM, porém é suficientemente satisfatória para o tipo de programação característica das Ondas Médias, que são os programas jornalísticos, religiosos, esportivos, de auditórios e de caráter informativos. As transmissões de FM (88 a 108MHz) além de utilizar dois canais distintos (som estéreo) possui ainda alta qualidade sonora chamada de alta fidelidade ( Hi Fi ) tornando o som mais agradável e real, ideal para a transmissão de músicas, porém as Ondas Médias consegue cobrir distâncias bem maiores com menos potência do que as das emissoras de FM. Outro detalhe que diferencia as emissoras de FM com as de OM é o de que as emissoras de FM necessitam instalar suas antenas de preferência no ponto mais alto da cidade, pois o sinal de FM trabalha na faixa de VHF e nesta faixa as ondas de rádio se comportam bem diferentes das de Ondas Médias que não necessitam de locais altos. Atualmente as emissoras de FM chegam a cobrir longas distâncias mais vale salientar que para isso ser possível são necessários muitos milhares de watts algumas aqui da capital de São Paulo chegam a utilizar

PROPAGAÇÃO
As ondas de rádios são irradiadas e se propagam em várias direções mais existem duas componentes especiais chamadas de Onda Terrestre (ou Onda de Superfície) e outra de Onda Espacial (ou onda ionosférica) . No caso das Ondas Médias a onda terrestre é a principal responsável pelo sinal para que este chegue (seja entregue) até os receptores sem oscilações ou variações de intensidade. Já a Onda Espacial como o próprio nome diz, é uma onda que irradia para cima (para o espaço). Durante o dia a Onda Espacial é absorvida pela ionosfera, mais durante a noite a Onda Espacial é refletida de volta para a terra num ângulo inverso ao de subida podendo bater na superfície da terra e ser refletida novamente perfazendo assim por várias vezes um verdadeiro zig zag o que possibilita com que as ondas de rádio da faixa de Ondas Médias percorram grandes distâncias que em alguns casos chegam a distâncias transoceânicas. Devido ao fato de que a noite as ondas de rádio de Ondas Médias se propagam muito longe, as emissoras são obrigadas por lei a reduzirem a sua potência. Essa medida se faz necessário para que uma emissora de uma região não interfira na cobertura de uma outra emissora de outra região. Porém mesmo com a potência bem reduzida podemos a noite em Ondas Médias captar facilmente emissoras bem distantes das mais diversas regiões e até mesmo de outros países. Vale lembrar que o sinal em Ondas Médias a noite dessas emissoras distantes chegam com o seu sinal oscilando (variando) de forma que em alguns momentos perdemos o sinal de uma emissora e recebemos o sinal de outra. Numa mesma frequência sintonizada, numa única noite podemos captar várias emissoras de várias regiões diferentes, tudo isso irá variar dependendo do que chamamos de propagação. Tem noite que a propagação esta melhor para uma região específica, já outras noites que esta para todas e outras ainda que a propagação esta ruim para vários locais.


Propagação ionosférica

A propagação das Ondas de Rádio via ionosfera esta ligada diretamente a atividade solar. Na superfície do Sol ocorrem explosões e estas liberam grandes quantidades de partículas que ionizam mais ou menos a ionosfera da Terra. Essas explosões podem beneficiar ou prejudicar os meios de comunicações em geral mais afeta principalmente os que utilizam a propagação ionosférica (por exemplo as Ondas Curtas). Apesar das Ondas Média não depender da propagação ionosférica, para os que gostam de ouvir Ondas Médias a noite afim de captar emissoras distantes, esta influenciará significativamente, assim teremos noites mais propensas a boas escutas do que outras...

Dica importante: Para os que gostam de captar emissoras  distantes de Ondas Médias, o entardecer e o amanhecer são bem propensos e interessantes para este tipo de escuta, pois em geral é o período em que as emissoras estão operando no máximo de suas potências e nesse horário temos o efeito da propagação ionosférica potencializando as escutas.

ANTENA
A antena do rádio receptor desempenha um papel fundamental para uma escuta de boa qualidade. O comprimento ideal para uma antena é o mesmo comprimento da onda de rádio a ser sintonizada que a grosso modo é calculada dividindo-se a velocidade da luz (300.000 kms/seg ) pela frequência em kiloHertz. Esse comprimento o qual chamamos de comprimento de uma onda completa pode ser encurtado pela metade ( 1/2 onda ) e esta metade ainda pode ser encurtada pela metade ( 1/4 de Onda ) , claro que o rendimento da antena encurtada em relação ao comprimento de uma onda completa cairá, mais ainda sim funcionará relativamente bem e será útil e necessário na falta de espaço. Veja abaixo quais os tamanhos ideais para antenas de Ondas Médias caso fossemos esticar um fio que servisse de antena:

FREQUÊNCIA Onda Completa 1/2 Onda 1/4 de Onda
540kHz 555 metros 277metros 140 metros
1.600kHz 188 metros 95 metros 47 metros

Além do problema da falta de espaço para esticarmos um fio tão longo que nos sirva de boa antena, teríamos ainda o problema de que o comprimento varia muito nos extremos da faixa de ondas médias. Para compensar tudo isso existem as chamadas antenas Loop que são composta basicamente de uma bobina pequena em volta de um bastão de ferrite que fica instalado dentro do rádio. Com o advento das antenas internas de ferrite, o rádio ganhou portabilidade podendo ser tão pequeno e livre do uso de antena externa ao ponto de se poder carregar um minúsculo rádio dentro do bolso de uma camisa sem falar nos rádios automotivos. As pequenas antenas internas de ferrite além de funcionarem muito bem são otimizadas para proporcionar excelentes sensibilidade ao receptor com algumas vantagens em relação as antenas tradicionais de fio, a se destacar que por ser direcional ( precisamos girar o rádio para encontrar o melhor sinal ) e interna, nos possibilita girar o rádio em uma direção que não tenhamos tanta interferência e ainda buscar a direção da emissora. Já nas antenas de fio a tarefa se tornaria bem complicada, imagine que por causa de uma interferência qualquer você precisa-se mudar de posição uma antena de 200 metros...

ANTENA INTERNA DE FERRITE

Todo rádio portátil de Ondas Médias possui uma antena interna de ferrite, e ao contrário do que muitos leigos imaginam a antena telescópica só é necessária para Ondas Curtas e FM, assim se for utilizar apenas Ondas Médias poderá manter a antena telescópica totalmente recolhida pois essa não atua em Ondas Médias. Para melhorar a sintonia de uma certa emissora procure girar o rádio sobre o seu próprio eixo em busca de direcionar o mesmo ao ponto de encontrar uma melhor recepção.

 

A antena interna de ferrite dos rádios portáteis de OM são dimensionadas para que o receptor possa receber sinais de emissoras locais sem problemas. Contudo existem antenas opcionais que aumentam (amplificam) em muito os sinais relativamente fracos ou que nem eram percebidos antes do uso de uma antena auxiliar, possibilitando ouvir emissoras muito distantes.

A antena RGP3 em conjunto com a mesa giratória é a opção preferida por centenas de radioescutas e dxistas por ser uma antena compacta porém bem potente.

A antena RGP3 é uma antena passiva ou seja não utiliza pilhas e nem fonte. seu uso é bastante simples e fácil de operar. Funciona bem com todos os rádios portáteis inclusive em modelos de receptores de baixa sensibilidade, o rendimento será ainda mais perceptível.

Para acoplar a antena ao rádio basta aproximar a mesma do rádio conforme a ilustração. A antena possui um botão giratório que realiza a sintonia capaz de cobrir toda a faixa de Ondas Médias. Por ser uma antena direcional a mesinha giratória se torna um acessório indispensável para virar todo o conjunto junto (antena e rádio) na direção do melhor sinal ou ainda para cancelar (anular) uma certa emissora ou interferência.

Foto - Antena RGP3 loop de ferrite com mesa giratória
Receptor em questão um SANGEAN ATS-909
Acoplamento da antena é apenas por aproximação
Excelente ganho mantendo a portabilidade

Outros tipos de antenas opcionais para Ondas Médias


Loop de Quadro 50cm
( excelente ganho )
Trabalha tanto em receptores portáteis
como receptores de mesa


Antena portátil e ativa da DEGEN modelo 31MS ou TG34
totalmente desmontável cabendo no bolso da camisa
Trabalha tanto com recptores portáteis como de mesa.

  A QUALIDADE DO RECEPTOR
A qualidade do rádio receptor influencia diretamente na qualidade das escutas e principalmente no que se deseja realizar (escutar) com o receptor. É muito comum pessoas das mais diversas regiões me consultarem que não conseguem ouvir muita coisa em Ondas Médias além das emissoras locais com os seus receptores, ou ainda que seus receptores captam muita chiadeira e zumbidos. Na maioria dos casos o problema tem sido resolvido quando o ouvinte ou radioescuta adquiri um receptor de boa qualidade. Muitos ainda me retornam agradecendo pelas dicas e sugestões e informando as tamanhas diferenças entre o antigo e o novo rádio receptor.

Talvez você não deseje se tornar um radioescuta e nem mesmo tenha interesse pelo hobby, mais tenha certeza de que pelo fato de gostar e apreciar a grande variedade de modelos de rádios receptores com os mais diversos recursos e mesmo se considerando um mero ouvinte que gosta de ouvir radio, você já é considerado um radioescuta, pois o hobby é bem abrangente e possui várias vertentes.

 

Clique aqui e visite a nossa lojinha do radioescuta !
Com certeza irá encontrar um modelo que se ajusta a sua necessidade e gosto !



Amantes do Rádio © desde 2005 - Todos os direitos são reservado

contatos: qapnet@terra.com.br